Os Tipos de Mudança Organizacional

Há diferentes classificações de mudanças organizacionais e a maioria delas costuma ser de natureza dicotômica. Dentre elas temos: a mudança incremental, que pretende realizar pequenos ajustes e adaptações nas formas de trabalho já existentes, enquanto que a mudança transformacional se propõe a mudar a organização como um todo, e não apenas grupos ou departamentos. Ela diz respeito, portanto, a uma mudança radical da missão, da estratégia, da distribuição de poder e do controle organizacional, que se constituem em importantes elementos da sobrevivência organizacional. Outro tipo dicotômico é a mudança planejada, que se baseia na ideia de que os problemas devem ser solucionados de forma lógica e racional, a partir do estabelecimento de objetivos claros e específicos, programados de forma sistemática; e, em oposição, a mudança emergente que caracteriza-se por processos que ocorrem com frequência contínua, de modo dinâmico, de maneira imprevisível, e sem uma intenção ou objetivo real. O terceiro tipo dicotômico é a mudança episódica que diz respeito às alterações que se mostram necessárias em função de as organizações terem se afastado da condição de equilíbrio em relação a seu meio ambiente, razão pela qual precisam se adaptar a ele em uma velocidade rápida; versus, a mudança contínua, que, encontra-se incorporada aos processos organizacionais e consiste em uma adaptação interna e gradual, dada como respostas às condições externas.

              De forma resumida, os diferentes tipos de mudanças podem consolidados como de primeira ou de segunda ordem. As mudanças de primeira ordem se baseiam em alterações orientadas a indivíduos e grupos, e que buscam acordos compartilhados que irão resultar em maiores habilidades de tomada de decisão (mudanças incrementais e contínuas). Enquanto que as de segunda ordem envolvem a mudança de paradigmas, de padrões mentais, de valores e de convicções, que mudam fundamentalmente a organização (mudanças transformacionais e descontínuas).

Para um aprofundamento no assunto sugerimos o artigo:

Maes, G. and Van Hootegem, G. (2011), “Toward a Dynamic Description of the Attributes of Organizational Change”, (Rami) Shani, A.B., Woodman, R.W. and Pasmore, W.A. (Ed.) Research in Organizational Change and Development (Research in Organizational Change and Development, Vol. 19), Emerald Group Publishing Limited, Bingley, pp. 191-231. https://doi.org/10.1108/S0897-3016(2011)0000019009

COMPARTILHE:
Publicado em Gestão de Mudanças Organizacionais, Inovação, Projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *